Guia para Investir – Horizonte Temporal

Acrescentando mais valor à nossa série de artigos sob o tema “Guia para Investir” vamos hoje abordar o tópico Horizonte Temporal.

Como é óbvio e para uma melhor compreensão da estrutura da série é de todo aconselhável a consulta dos artigos anteriores referentes ao tema, nomeadamente, os artigos, Guia para Investir – Segurança e Guia para Investir – Liquidez.

Relativamente ao horizonte temporal de um investimento convém reflectir que este não é um critério demasiado importante na análise de um investimento, na medida em que, e consoante o objectivo do investidor, o horizonte temporal poderá variar sem que para isso influencie a estratégia de investimento.

Do ponto de vista da simplificação, por horizonte temporal entende-se por prazo de uma aplicação ou investimento e este está relacionado directa e indirectamente com a estratégia de investimento.

Um investidor que pretenda a rentabilidade no curto prazo através de investimentos diversificados e de elevada liquidez, não encontra vantagens em optar por um investimento de longo prazo porque este pode possuir limitações nas questões de liquidez ou acarretar encargos significativos em caso de resgate antecipado.

No entanto, se o objectivo de um investidor for a criação de uma base sólida para um complemento de reforma, faz sentido que a escolha por opções de investimento seja baseada num horizonte temporal longo e com possibilidades superiores de rentabilização.

Como podemos facilmente verificar a estratégia de investimento baseada no horizonte temporal está grandemente relacionada com o objectivo do investidor.

Por outras palavras, se o objectivo do investidor for a rentabilização ou a criação de uma poupança ou qualquer outro tipo de investimento, o curto ou o longo prazo poderá ser uma opção de escolha desde que a rentabilidade e segurança das suas poupanças estejam garantidas.

De igual modo, e recapitulando, se a estratégia se baseia no futuro, faz todo o sentido o investidor seleccionar investimentos que se baseiam no longo prazo e que ofereçam possibilidades de rentabilização superiores à média. Não pretendendo aconselhar, mas um tipo de investimento que possui provas dadas de maior rentabilização são as acções ou fundos de investimento de acções, porque, e caso o horizonte temporal seja extenso, como por exemplo, superior a 30 anos, o risco deste tipo de investimento tem tendência a diluir ao longo do tempo. Todavia, o mercado possui hoje diversos produtos para estes prazos com rentabilidade interessantes.

Outra perspectiva resume-se aos objectivos de curto prazo, como por exemplo, a compra de um carro no próximo ano. Este tipo de objectivo define à partida o prazo do investimento “daqui a um ano”, limitando a oferta de produtos e conduzindo o investidor a produtos de elevada liquidez com rentabilidades reduzidas, podendo, caso a preferência do investidor seja essa, possuir risco ou não.

Finalizando, o importante para o investidor é possuir a noção correcta do tempo necessário para que o investimento seja rentável.

Se gostou deste artigo irá gostar também dos outros que virão. Subscreva as actualizações por Email e seja o primeiro a receber as novidades.


Cumprimentos…

Outros Artigos desta Série:


Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Em que podemos ajudar?

Outro