Guia para Investir – Segurança

Uma das preocupações que todos temos é sabermos o que fazer com as nossas poupanças, como as rentabilizar e multiplicar. Para agravar tal indecisão surge a oferta bancária, que actualmente conta com produtos financeiros do mais tradicional ao inovador, como por exemplo, o recente fundo de investimento em apostas desportivas, onde a rentabilidade e o risco estão sempre em confronto.

Como todos sabemos, não existe grandes rentabilidades sem existir risco no produto, ou seja, um cliente que pretende usufruir de uma rentabilidade alta tem que ter presente que o risco é de igual modo elevado, podendo afectar o capital que investe.

Assim sendo, existem critérios base para um correcta avaliação dos diversos tipos de produtos e serviços disponibilizados pelos bancos e é sobre estes critérios que vamos dedicar alguns artigos aqui no Produtos Bancários.

Hoje, vamos abordar a segurança nos Investimentos e convido-o a subscrever o as actualizações por E-mail para que não perca os próximos artigos sobre o tema ou outros assuntos de interesse.

SEGURANÇA NOS INVESTIMENTOS

Para os Portugueses em geral, a segurança é o principal factor que leva à tomada de decisão por produtos financeiros tradicionais como os depósitos a prazo ou as poupanças. As razões são simples e resumem-se a duas:

  • Capital garantido;
  • Rentabilidade garantida;

Obviamente que, e todos sabemos, produtos de poupança que oferecem capital e rentabilidade garantida, por norma, oferecem taxas de juro baixas que depois de deduzir o imposto e a inflação, resumem-se a quase nada.

Obviamente que esta pretensão possui seu porto seguro na segurança nos investimentos e revelam o perfil conservador. Assim sendo, podemos afirmar que a segurança representa a garantia que o cliente possui em recuperar, no mínimo, a totalidade do dinheiro que investiu.

Este mínimo resume-se a esta simples frase “Posso não ganhar, mas também não quero perder.”, o que revela que uma maioria dos clientes bancários está consciente que poderá não ganhar dinheiro com as decisões que tomam, mas consideram importante que não perder o dinheiro que investiram.

Assim podemos concluir que a segurança revela a garantia que o cliente vir a recuperar, pelo menos o dinheiro que aplicou.

Por incrível que pareça e raramente pensamos no assunto, o facto de decidir-mos abrir conta num determinado banco, estamos assumir um risco que basicamente se resume na capacidade do banco em restituir o dinheiro que contratualmente lhe confiamos.

Assim sendo, o banco que escolhemos para o nosso dinheiro é um aspecto de segurança a levar em conta, como também o é, o tipo de aplicação para rentabilizar as nossas poupanças, no sentido em que, algumas beneficiam de garantia legal através do fundo garantia de depósitos, e outras não.

Resumidamente, segurança nos investimento, na sua essência, é:

  • Solidez do banco;
  • Tipo de aplicação.

Relativamente ao segundo tópico, investir num deposito a prazo ou em uma poupança devolve uma segurança superior, não só através da solidez do banco, mas também porque em caso de falência, existe uma garantia legal associada. De igual modo, sabemos que um investimento neste tipo de produto devolve uma rentabilidade inferior quando comparado com produtos que possuam investimento em acções, ou até mesmo obrigações.

Logo, a segurança só possui significado nos investimento se estiver associada à noção de risco, pois sempre que existe risco de diluição de capital não existe segurança, ou vice versa. Mas o risco pode estar presente nos mais diversos cenários de investimentos, como por exemplo, num depósito a prazo.

Se constituir um deposito a prazo por um determinado prazo e eventualmente necessitar de resgatar esse deposito irá possuir uma penalização, logo revela que risco de perda de juros. Assim sendo, a constituição de um deposito que possua penalização de juros, a generalidade, poderá representar uma lacuna na segurança.

Para terminar, convêm reter:

  • Segurança esta ligada ao risco;
  • Um investimento seguro pode representar risco;
  • O tipo de aplicação influencia a segurança.
  • Não é possível grandes rentabilidades sem risco.

Cumprimentos…

Se gostou deste artigo irá certamente gostar dos próximos. Subscreva o Produtos Bancários e receba gratuitamente na sua caixa de correio electrónico todas as novidades.

Outros Artigos desta Série:


Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Em que podemos ajudar?

Outro