Tudo Anda Bem, Mas Acabará Bem?

0
128
Economia

Nos últimos meses temos assistido a sucessivas (aparentes) boas notícias no campo da economia. O país está a criar riqueza e as projeções para os próximos anos trazem algum otimismo associado.

As Empresas E Os Trabalhadores Têm Todo O Mérito

Se temos de nos alegrar com os progressos económicos temos também de dar os parabéns aos empresários e às empresas que têm sido capazes de se reinventar para crescer, servir melhor e criar mais riqueza e emprego.

Vivemos tempos de grande otimismo. Isso é visível nas ruas. Parece que os maus momentos da malfadada crise já estão completamente para trás. Infelizmente, a memória é curta e a visão é ainda mais curta. O Estado continua a endividar-se e as famílias voltaram a consumir (e muitas vezes com recurso ao crédito). Mas tudo anda bem e quem diz o contrário é logo acusado de muitas coisas desagradáveis.

Sonhar É Positivo Mas…

Todos queremos melhorar as nossas condições de vida. É legítimo ter aspirações a uma vida melhor e mais digna. No entanto, é importante que não nos esqueçamos de ser prudentes. A vida económica e financeira não mudam por decreto e muito menos mudam de um dia para o outro. Atravessamos um campo muito frágil e estamos demasiado dependentes da envolvente externa para deixarmos de ser prudentes.

É bom ser otimista, mas é ainda melhor ser realista e prudente. Em última análise, se formos prudentes e se tivermos uma atitude de poupança (que potenciará o investimento) conseguiremos criar valor de forma sustentada.

O Que Podemos Fazer?

Por exemplo, por que não aproveitar alguma devolução de rendimentos para cortar com o endividamento? Ou para começar a fazer uma poupança para a reforma, assumindo-se cada vez como mais certo que não teremos as reformas que nos trarão conforto e qualidade de vida?

Veja algumas dicas da Reorganiza para poupar dinheiro para o futuro. Sugerimos também que reveja a sua carteira de seguros para ver se é possível poupar dinheiro.

Nota: Artigo adaptado de crónica no Jornal Destak

Avalie este artigo
COMPARTILHAR
Artigo anteriorUma Poupança “Sem Risco” e Com Taxa Mínima de 1.25%
Próximo artigoPoupança – O Dia Dos Zero Euros
Iniciou a sua carreira no setor financeiro onde desempenhou funções de analista de ações e gestor de fundos de investimento. Especialização em mercados e ativos financeiros no ISCTE e uma pós-graduação em Análise Financeira no ISEG, curso que lhe conferiu o Certificado Europeu de Analista Financeiro. Fundou a Escola de Finanças Pessoais – sendo co-autor de seis livros nesta temática (Manual das Finanças Pessoais, Manual da Poupança, Como Acabar com as Dívidas Pessoais e Familiares, O meu primeiro livro de Finanças Pessoais e Como ensinar o meu filho a poupar, Viva uma Reforma Feliz). Através da Escola de Finanças Pessoais já formou mais de 5.000 colaboradores de empresas nacionais e internacionais. Tendo sido Diretor-Comercial na DignusCapital, decide criar o seu projeto próprio na área da renegociação e intermediação de crédito, fundando a Reorganiza, empresa onde trabalha atualmente.

DEIXE UMA RESPOSTA

*

code