A História do Senhor Cifrão!

Investir

A História do Senhor Cifrão!

2 min Partilhar 23 de Junho, 2014

Search
Generic filters
Exact matches only
Miguel Pires

O senhor Cifrão é alguém que tem algum dinheiro. Conseguiu libertar-se da mesada dos pais, começou a trabalhar e consegue que os seus rendimentos sejam superiores às suas despesas. Todos os meses lhe sobra algum dinheiro.

A sua conta à ordem está já recheada com euros mas o senhor Cifrão não sabe o que fazer com eles! Não está habituado a ter dinheiro de sobra. Começa a pensar nas opções que tem.

Gastar todo o dinheiro que juntou, em alguma coisa de que goste, é a primeira opção que lhe vem à cabeça. Melhor ainda, pensa ele: vou gastar tudo o que tenho e pedir um empréstimo para mais alguma coisa. Assim, o que sobra vai para as prestações e já não vou ter que me preocupar outra vez com este assunto!

Ainda assim ele decide pensar mais um pouco: então e se tiver uma despesa inesperada? Os meus pais vão “mandar-me dar uma volta” porque eles já fizeram a parte deles! Quais são as opções que restam? Guardar ou investir, foi o que ele descobriu.

O senhor Cifrão decidiu então investigar estas duas opções. Descobriu que o dinheiro é uma reserva de valor, mas uma reserva de valor que não é fixa nem constante, mas sim volátil e inconstante. O valor do dinheiro corresponde àquilo que ele pode comprar e o que 1 euro pode comprar hoje é diferente do que pode comprar amanha. A inflação (aumento dos preços) está para o nosso dinheiro como a ferrugem está para o ferro! Colocar o dinheiro debaixo do colchão ou num cobre forte não parece ser a melhor opção.

Resta o investimento. Mas investir em quê? O senhor Cifrão descobriu que existe no mercado um conjunto enorme de opções de investimento, muito diferentes umas das outras em termos de liquidez, rendibilidade e risco. Perante isto o que fazer?

O senhor Cifrão já decidiu que investir o dinheiro que sobra é a melhor solução mas em quê é que ainda tem dúvidas! Ele já ouviu histórias de pessoas que investiram o dinheiro de sobra e ficaram ricas mas também de pessoas que fizeram o mesmo e ficaram sem nada! Depois de refletir bastante, decidiu então procurar especialistas em finanças pessoais para aprender a ficar no primeiro grupo e não no segundo. O que ele aprendeu fê-lo ficar cheio de entusiasmo e motivação mas disso falaremos daqui a 15 dias!



Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Em que podemos ajudar?

Outro