Como Reduzir as Prestações Bancárias

1
3020
Cartão de crédito

Reduzir o peso das prestações é uma solução para períodos de aperto financeiro, pois permitirá melhorar a sua capacidade financeira reduzindo o esforço financeiro mensal. É certo que os tempos são de dificuldade para a generalidade das famílias e ao contrário do que seria suposto, as taxas de juro baixas não têm permitido um controlo adequado do peso dos créditos.

As Taxas de Juro Têm Vindo a Cair…

Muitas são as razões que influenciam este tipo de acontecimento, como por exemplo, a instabilidade económica, os níveis consideráveis de desemprego e o risco do mesmo, o aumento dos impostos e consecutivamente o aumento do peso do cabaz de bens no orçamento, etc.

Para agravar esta situação muitas famílias viram-se forçadas a recorrer ao crédito, especialmente aos créditos de curto prazo (com taxas de juro mais elevadas), agravando ainda mais a sua situação financeira.

Num contexto como o que atravessamos é fundamental atacar os problemas de frente. Neste artigo iremos apresentar-lhe algumas soluções de curto prazo que lhe possibilitarão estabilizar a sua vida financeira, pagar os seus créditos e ganhar algum tempo para encontrar soluções de longo prazo.

Carência de Capital

A carência de capital é uma das primeiras soluções para reduzir as suas prestações. Ao solicitar uma carência de capital irá ficar durante algum tempo a liquidar apenas os juros ao seu banco. Isto significa que o seu crédito irá ficar mais caro do que a opção inicial uma vez que vai ter de suportar mais juros (o capital médio em dívida é maior).

A carência de capital é uma solução para reduzir o peso das prestações no orçamento familiar. No entanto, é necessário ter sempre presente que, em termos globais, o crédito fica mais caro que a opção tradicional pois irá ter um capital médio em dívida maior. Note-se que, o objectivo é conseguir um fôlego adicional no orçamento familiar para fazer face às dificuldades de curto prazo.

Exemplo:

reduzir-dividas-carencia-capital

Aumento do Prazo

Uma segunda alternativa para reduzir as prestações com créditos consiste no aumento do prazo, uma solução que possibilitará reduzir substancialmente as suas prestações. Como no caso da carência de capital, irá pagar mais juros uma vez que o crédito irá demorar mais a ser pago.

Exemplo:

reduzir-dividas-aumento-prazo

O aumento do prazo é a solução mais utilizada para aliviar a prestação mensal do crédito, pois não só garante ao cliente a manutenção do crédito com amortização de capital e juros, como manterá essa regularidade até ao fim do prazo.

Diferimento de Capital

Esta solução não é muito utilizada mas permite obter os mesmos resultados que os anteriores pois ao transferir parte do capital em divida para o fim do prazo permite uma redução da prestação. Como seria de esperar e à semelhança das anteriores, também aqui o encargo com o financiamento aumenta e terá que contar com um prestação final equivalente ao diferimento de capital.

Exemplo:

reduzir-dividas-diferimento-capital

Esta solução implica que no final do contrato terá uma prestação com um valor muito pesado. Ou seja, no último dia do contrato terá de pagar 15% do valor total do crédito (neste exemplo).

O que Fazer se Tiver Muitos Créditos?

Todas as soluções anteriores podem ser aplicadas nos mais diversos créditos e independentemente do seu número. No entanto, negociar muitos créditos em simultâneo pode ser muito complexo e moroso. Aliás, esta maior complexidade e morosidade têm levado muitas pessoas a recorrer ao nosso serviço de renegociação de créditos que oferece uma consulta de diagnóstico financeiro gratuito.

Uma segunda alternativa pode passar pela consolidação de créditos que mais não é do que uma situação que permite agrupar os créditos todos num só financiamento., com o objetivo de diminuir as suas prestações mensais.

A Sua Estabilidade Financeira Surgirá Depois

Qualquer solução permitirá reduzir o peso das prestações do crédito no seu orçamento mensal, bem como, em situações de aperto financeiro reunir o fôlego financeiro necessário para alcançar a estabilidade financeira existente até à data dos primeiros sinais de aperto.

Precisa de recuperar a sua estabilidade financeira? Está com dificuldade em fazer face ao pagamento dos seus créditos? Marque já o seu diagnóstico financeiro gratuito e veja quanto pode poupar todos os meses.

Avalie este artigo
COMPARTILHAR
Artigo anteriorCrédito Habitação – Como Decidir e Como Poupar
Próximo artigoCuidados a Ter com o Crédito Pela Internet
João Morais Barbosa
Iniciou a sua carreira no setor financeiro onde desempenhou funções de analista de ações e gestor de fundos de investimento. Especialização em mercados e ativos financeiros no ISCTE e uma pós-graduação em Análise Financeira no ISEG, curso que lhe conferiu o Certificado Europeu de Analista Financeiro. Fundou a Escola de Finanças Pessoais – sendo co-autor de seis livros nesta temática (Manual das Finanças Pessoais, Manual da Poupança, Como Acabar com as Dívidas Pessoais e Familiares, O meu primeiro livro de Finanças Pessoais e Como ensinar o meu filho a poupar, Viva uma Reforma Feliz). Através da Escola de Finanças Pessoais já formou mais de 5.000 colaboradores de empresas nacionais e internacionais. Tendo sido Diretor-Comercial na DignusCapital, decide criar o seu projeto próprio na área da renegociação e intermediação de crédito, fundando a Reorganiza, empresa onde trabalha atualmente.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA