Guia para Investir – Custos (Rev.)

 

Ontem publiquei um artigo com titulo “Guia para Investir – Custos” e permaneceu a sensação que ficou algo por dizer.

Na verdade, o artigo foi elaborado tendo em conta que todos nós conhecemos claramente quais são os custos mais comuns nos diversos tipos de aplicações, no entanto, nem todos nós sabemos o que cada custo significa na realidade.

Assim sendo, hoje vou efectuar uma pequena revisão ao artigo identificando os custos mais comuns e o que cada um significa e espero que seja útil para todos nós.

Custos mais Comúns

  • Comissão de subscrição

É uma comissão que é paga à entidade gestora no momento da subscrição. É o tipo de comissão mais comum e pretende ser usada para remunerar a cadeia de distribuição. Os produtos onde regra geral existe esta comissão são os fundos de investimento e alguns seguros de capitalização.

  • Comissão de gestão

É uma comissão paga periodicamente à entidade gestora, destinada a remunerar esta pelo seu serviço. Normalmente obedece a uma periodicidade anual e é calculada com base numa percentagem sobre o valor da aplicação que poderá ter diferente periodicidade da data de pagamento. Por outras palavras a comissão de gestão pode ser calculada diariamente e cobrada anualmente. Esta comissão é muito usual nos fundos de investimentos.

  • Comissão de performance

Quando existe, é uma comissão paga à entidade gestora pelos ganhos alcançados. Não é uma comissão muito comum mas existem alguns produtos que a utilizam.

  • Comissão de resgate

É uma comissão paga à entidade gestora, quando existe um resgate. Esta comissão é muito comum nos produtos com perspectiva de médio e longo prazo, como por exemplo, fundos de investimento em acções. Regra geral, é calculada com base numa percentagem pré-estabelecida sobre o valor resgatado.

  • Imobilização Antecipada

Todos nós estamos familiarizados com este tipo de custo que é muito comum nos depósitos a prazo. Este custo penaliza todos os clientes que pretendem liquidar antecipadamente uma aplicação. Regra geral, a totalidade de juros corridos e não pagos são retirados, no entanto, muitos são os produtos que a penalização resume-se a um período dentro do prazo contratado, como por exemplo, os primeiros 3 meses do depósito a 6 meses.

Presumo que agora sim estamos em condições de analisar as melhores opções de investimento.

Consulte os outros artigos da nossa série Guia para Investir:

Cumprimentos…



Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Em que podemos ajudar?

Outro