-->

SIMULE AQUI SEM COMPROMISSO O SEU CRÉDITO HABITAÇÃO

SIMULE AQUI SEM COMPROMISSO O SEU CRÉDITO HABITAÇÃO

Quanto Custa Pedir Dinheiro a Crédito?

Crédito Educação Financeira Finanças Pessoais

Quanto Custa Pedir Dinheiro a Crédito?

3 min Partilhar 15 de Junho, 2022

Search
Generic filters
Exact matches only
Crédito

Numa altura em que há subida de taxas de juro, mas em que a nossa vida continua com projetos para concretizar, devemos perceber exatamente quanto nos custa pedir dinheiro emprestado. Pagamos juros para compensar quem nos empresta este dinheiro e remunerá-lo, também, pelo risco que corre ao dar-nos esse crédito. Mas temos verdadeiramente a noção de quanto custa pedir esse valor? Neste artigo exploramos a questão de modo a ajudá-lo a tomar decisões ainda mais informadas sobre esta ferramenta financeira.

Os juros são maiores quanto maior for o risco

Quem nos empresta dinheiro está a investir. Deste modo, a lógica que se aplica aos investimentos mantém-se no negócio do crédito. Quanto maior o risco maior deverá ser o retorno ou o juro exigido nessa operação. Para termos a certeza desta relação basta pensar nas nossas relações de amizade. Talvez estejamos disponíveis para emprestar dinheiro a um amigo muito próximo (mas com cuidado) e não queiramos emprestar a um conhecido, naturalmente mais distante. É tudo uma questão de risco… ou de confiança.

Não nos iremos ocupar muito em torno de como é definido o risco pois são muitas as variáveis. No entanto, bastará ter presente que há créditos com bastante mais risco do que outros. Assim, podemos ter a seguinte hierarquia de risco (começando no mais baixo):

  1. Crédito Habitação;
  2. Crédito Automóvel;
  3. Crédito Pessoal;
  4. Conta Ordenado;
  5. Cartão de Crédito.

À primeira vista podemos ser tentados a pensar que os empréstimos de maior montante têm menos risco… sendo verdade, tal deve-se antes à garantia que é dada. Se reparar, temos bens ou ativos reais como casas, terrenos ou automóveis que têm um valor de mercado.

Quanto Custa Um Crédito Habitação

Vamos partir de um caso hipotético com um crédito habitação até €125.000. Assumindo uma taxa de juro fixa de 2% ao ano durante 30 anos, iria pagar sensivelmente €41.300 de juros. Na prática, mais 33% do que aquilo que pediu emprestado.

Olhando deste modo, percebemos a grandeza ou o significado dos juros. No entanto, devemos pensar também que temos uma instituição financeira que passa para a nossa conta bancária €125.000 que só irá recuperar ao final de mais de 22 anos. Ou seja, acabamos por ter esse “privilégio” e temos de pagar por ele. Um “privilégio” que acaba por ter uma utilidade associada (temos uma casa para viver, não pagamos a um senhorio, no final do prazo a casa será nossa, entre outros).

Quanto Custa um Crédito Automóvel

Assumindo um caso hipotético de um crédito automóvel de €10.000 pago a 7 anos e com uma taxa de juro de 10%, acabamos por pagar €13.945 ou mais 34%. Se repararmos, a relação entre o que pagamos de juros no crédito automóvel e no crédito habitação é idêntica (é uma coincidência), apesar do prazo ser inferior. Isto é natural pois a taxa de juro é muito superior.

Neste contexto devemos pensar se faz sentido comprar um carro deste montante recorrendo a crédito. Talvez faça, especialmente porque são poucas as pessoas que conseguiram poupar tanto dinheiro para comprar o carro a pronto.

Quanto Custa um Cartão de Crédito

O caso específico do cartão de crédito é muito distinto dos restantes, isto porque o cliente escolhe a modalidade de pagamento e pode alterá-la ao longo do contrato as vezes que quiser. Na realidade, poderá não custar nada (se pagarmos a 100% todos os meses) ou pode custar milhares de euros. Chega a acontecer cruzarmo-nos com casos de clientes, no nosso serviço de consolidação de créditos, que têm um valor de endividamento a aumentar todos os meses pois a prestação que pagam não é suficiente para cobrir os juros, as comissões e os seguros associados.

Como obter as melhores condições?

O custo real de um empréstimo é muito superior ao valor da nossa aquisição, pelo que devemos ponderar bem os nossos rendimentos mensais e a sua solidez e constância. É claro que a banca e financeiras avaliam a nossa taxa de esforço, mas é preciso equacionar se ficaremos com uma vida financeiramente estável com a decisão.

Sendo possível comprar algo a pronto ou com créditos sem juros, perfeito. Não sendo possível (ou podendo fazer sentido fazer uma compra a crédito, por exemplo para investimento) deveremos aumentar a nossa qualidade de crédito, uma vez que as taxas e as condições variam muito, e é importante ter acesso ao crédito mais barato do mercado. Se quer saber como pode ter mais vantagem neste tipo de empréstimo, não hesite e deixe o seu comentário ou questão na caixa abaixo ou preencha um dos nossos simuladores.



Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Em que podemos ajudar?

Outro