Investimentos – Como escolher um ativo?

Investir

Investimentos – Como escolher um ativo?

3 min Partilhar 12 de Março, 2021

Search
Generic filters
Exact matches only

Somos adeptos de uma política de investimentos coerente e sólida. A nossa intenção é que venha a dominar todas as vertentes da construção de um processo de investimento, pelo que neste artigo iremos começar pela base e mostrar-lhe como pode classificar todos os investimentos.

Somos da opinião que todas as variáveis e fenómenos podem ser caracterizados e classificados com base em algumas características comuns. No caso dos ativos financeiros salientamos três características que, quando definidas corretamente, irão permitir balizar e distinguir todas as classes de ativos: falaremos de seguida do retorno esperado, do risco e da liquidez.

Retorno Esperado

Todos os investidores em mercados financeiros, mesmo que o neguem, são especuladores. Ou seja, são indivíduos que investem hoje na esperança de vir a obter um lucro positivo no futuro, com a alienação do investimento. Assim, quem escolhe um investimento tem uma expectativa de retorno, que anda intimamente de mãos dadas com o Risco/Volatilidade do investimento. Como veremos, para obter mais retorno, teremos de assumir maior nível de risco. Saiba aqui como se iniciar no mundo dos investimentos.

Risco

Outra variável chave quando falamos de investimentos, que apesar de ser um conceito intuitivo, sabemos a relação dolorosa que os portugueses têm com esta variável, facto que se traduz nas posturas muito conservadoras que existem face aos investimentos.

Na realidade, a definição de risco é bastante simples e esclarecedora. O risco é a incerteza inerente a um acontecimento, não tendo de ser algo, por si, negativo. É simplesmente algo cujo resultado não conhecemos com precisão.

Relação Risco / Retorno

Como sabemos, no mundo dos investimentos existe uma grande relação entre risco e retorno. Parece lógico, mas esta relação é muitas vezes esquecida pela generalidade dos investidores. Na realidade, o que é lógico é que os investidores exijam um determinado nível de retorno para um investimento e que, quanto maior o risco maior o retorno.

Esta relação é suficiente para descrever os investidores, caracterizados por avessos ao risco. Ou seja, entre dois investimentos com o mesmo risco, devemos escolher aquele com maior retorno esperado. Dito de outro modo, entre dois investimentos com o mesmo nível de retorno esperado, devemos escolher aquele com menor risco.

Liquidez

O terceiro conceito que introduzimos é o conceito de liquidez, que mais não é do que a possibilidade de comprar ou vender um determinado activo, num momento desejado e a um preço considerado pelo mercado justo.

Um exemplo é uma acção que possui maior liquidez do que um imóvel, pois, para a tornar em dinheiro basta dar uma ordem ao corretor. No caso do imóvel, teremos de esperar bastante mais tempo e o processo negocial é conhecido por tender a levar à baixa do valor que obtemos na venda.

Os depósitos a prazo são, por vezes, considerados de liquidez imediata. No entanto, devido à existência de penalizações por mobilização antecipada,  destaca-se a perda do direito aos juros, factor que, a nosso ver, limita um pouco esta liquidez. Outros produtos que criam barreiras à liquidez são os fundos de investimento, que tanto na constituição como no resgate ou desmobilização podem estipular períodos mínimos de permanência ou condições penalizadoras.

Naturalmente que alguns produtos, pelas suas características, podem justificar algumas condições. Contudo, terá de ter cuidado com as comissões de subscrição ou resgate, comissões essas que podem prejudicar gravemente o retorno de um investimento. Neste contexto, finalmente, salientamos que as sociedades gestoras não têm por hábito a cobrança destas comissões (que consideramos algo abusivas), apesar de terem uma menor eficiência fiscal.

Para que Serve esta Classificação?

Esta classificação permite estabelecer prioridades e adequar a escolha do activo ao nosso perfil de risco e horizonte temporal de investimento, dois processos também eles, de grande importância. Conhecer os seus ativos é fundamental para quem quer saber como esses ativos interagem entre si e como podem contribuir para ganhar dinheiro na sua carteira.



Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Em que podemos ajudar?

Outro