Controle as suas Emoções quando Investir

É um facto comprovado que Investir em produtos de risco é um processo que requer uma certa dose de análise. Todos concordamos que é fundamental conhecer a fundo o ativo que pretendemos comprar, mas também o é efetuar um acompanhamento do mesmo e de tudo o que poderá influenciar a sua rentabilidade esperada.

Já destacamos por aqui alguns artigos sobre a arte de investir em consciência e algumas recomendações para iniciantes, no entanto, nunca abordamos o conceito do comportamento humano nas decisões de investimento.

Risco é a incerteza inerente a um acontecimento, que pode originar um resultado negativo ou positivo. A Humanidade, apenas evoluiu com o contributo das pessoas que arriscaram, o que levou à inovação, à alteração da forma de ver os problemas. Assim sendo, todos concordamos que o sucesso, independentemente da área de atuação, depende da aceitação que cada individuo possui em relação ao risco.

Ora, se investir em produtos de risco é um ato que requer uma certa dose de análise, também é um processo que necessita de um imenso controlo emocional.

investir bolsa

Segundo pesquisas de neurobiologia a existência de aptidões para compreender e gerir as emoções e tomar decisões permite uma maior probabilidade de sucesso nos mais diversos domínios da vida.

Assim sendo, nos investimentos com risco é fundamental que cada investidor conheça-se a sí próprio. Se conheça de uma forma profunda que o permita controlar as suas emoções nos momentos mais cruciais, como por exemplo, quedas momentâneas num determinado ativo onde investiu. Reforcemos esta capacidade com as seguintes recomendações.

Seja Paciente

Um dos erros mais frequentes na maioria dos investidores são as decisões precipitadas. São as decisões sem controlo emocional. Anote a seguinte recomendação: Se ponderou investir num determinado ativo, efectuado uma análise cuidada, uma identificação dos atuais e potenciais riscos, bem como do potencial de rentabilidade, então porque decidir desinvestir sem o mesmo processo de estudo e análise efectuado.

Quando o mercado voltar-se contra as suas expectativas, não aja emocionalmente. Sente-se um pouco, procure compreender o que se passou, a relevância da informação e verifique se os requisitos da sua análise inicial não estão comprometidos. Se por ventura tudo está conforme o planeado, porquê desinvestir?

Risco é a Maior Certeza que Possui

Quando decide investir em produtos de risco, sabe à partida que a movimentação do ativo pode ser positiva ou negativa. Se sabe que tal acontecimento é possível, então porquê não se sente confortável com variações negativas. Eduque-se emocionalmente sobre esta realidade sempre que ponderar investir em produtos de risco, pois, tem que estar preparado para perder todo o seu capital.

Não seja Impulsivo

O erro pode não estar apenas na saída do mercado, mas também na entrada do mesmo. Agir por impulso pode destruir qualquer rentabilidade acumulada. Por exemplo, imagine que um amigo seu lhe disse que determinado ativo tem potencial de valorização. À primeira vista até pode existir, mas será que os seus trabalhos de casa foram feitos?

Se não está à vontade com o ativo, porquê investir nele? Se não conhece o sector, porquê acreditar numa valorização? E ainda, se decidir investir lembre-se que vai investir com o seu dinheiro, não com o dinheiro do seu amigo. Não tome decisões por impulso pois pode prejudicar toda a rentabilidade da sua estratégia de investimento.

Tenha um Plano B

Definitivamente é necessário todo o investimento ter uma válvula de escape caso o mercado vá contra todas as expectativas. Costumo dizer que, quando o mercado reage inversamente à tendência é algo contra-natura e isso, é incontrolável. Um plano A ou B é uma garantia da sua carteira de investimento e uma defesa dos seus objectivos de rentabilidade. Imagine que é um investidor de ações e possui um plano simples de garantir uma rentabilidade anual de 5%ao ano.

Este é o seu objectivo anual, mas quais são as sua margens de segurança??? Qual a percentagem de capital que está disposto a sacrificar para alcançar a rentabilidade que pretende e qual o limite de prejuízo ou rentabilidade ao qual a sua decisão de saída do mercado pode ser acionada?

É tudo disciplina. Se pretende 5% ano de rentabilidade e não pretende arriscar mais de 10% da sua carteira de investimento então poderá ter que comprar ativos de risco elevado com a espectativa de alcançar rentabilidades elevadas.

Com os 95% da carteira que não deverão estar demasiados exposto ao risco poderá garantir 2 a 3% da rentabilidade em depósitos a prazo, fundos e obrigações de baixo risco, ficando os restantes 2 a 3% para investimento em ações, futuros, entre outros.

É tudo uma questão de disciplina….

 



Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Em que podemos ajudar?

Outro