Imobiliário – Invista Para a Reforma

0
145
imobiliário

A queda das taxas de juro de mercado (e a previsão de manutenção de taxas nestes níveis por bastante tempo) tem trazido um dilema a quem tem dinheiro e quer investir para o longo prazo. Na realidade os investimentos isentos de risco não dão qualquer retorno e é preciso encontrar alternativas. O que fazer ao dinheiro?

O Que Vai Acontecer Às Taxas de Juro?

Adivinhar o futuro é uma tarefa condenada ao fracasso. Assim, quem investe tem de assumir risco, que está relacionado com diversas incertezas. Tem, ainda, de ter em consideração a informação disponível e formular projeções.

A Europa está a passar por uma situação financeira muito complexa. O setor financeiro ainda não completou a reestruturação e ainda não resolveu os problemas de incumprimento bancário. Assim, deverá continuar a ser necessário o apoio do BCE para manter as taxas de juro a níveis muito perto de zero, penalizando os aforradores e beneficiando todos aqueles que têm dívida ao mesmo tempo que estimula o investimento com recurso a dívida.

Parece-nos que as taxas de juro se irão manter baixas por bastante tempo, criando oportunidades de investimento que podem ser interessantes (mas sugerindo cautela). Veja, por exemplo, a evolução da Taxa Média Euribor dos últimos meses e tire as suas conclusões.

O Que Se Passa Com O Mercado Imobiliário Em Portugal?

Em Portugal temos uma situação caricata. Por um lado, temos uma procura crescente pelo imobiliário por diversos fatores. Estrangeiros a comprar. Turismo em crescendo, o que incentiva o arrendamento a turistas. Aproveitamento de oportunidades fiscais para reformados e estrangeiros. Por outro lado, temos um mercado de arrendamento com desafios (especialmente para os contratos antigos), não sendo ajudado pelas incertezas em torno da lei do arrendamento.

O Que Fazer Ao Seu Dinheiro?

Se tem dinheiro disponível poderá pensar na compra de imobiliário para arrendamento. Há poucas casas para arrendar o que está a fazer os preços das rendas subir de forma considerável, especialmente no centro de algumas cidades. Se a este movimento somarmos a maior abertura dos bancos a conceder crédito habitação, estamos numa situação muito interessante para investidores com liquidez.

Comprar Com Recurso Ao Crédito Ou a Capitais Próprios?

Se não tem capacidade financeira para comprar uma casa com recurso a capitais próprios, a compra de casa com recurso ao crédito habitação poderá ser uma alternativa interessante. Se reparar, pode comprar um imóvel com taxas de juro inferiores a 2% ao ano e receber um rendimento perto de 8%-10%. De notar, ainda, que deverá focar a sua análise apenas no valor que paga de juros e não no valor correspondente ao capital pois esse valor não é um custo.

Caso tenha dinheiro disponível para investir, talvez faça sentido avaliar a possibilidade de investir também com crédito habitação. Isso permitiria comprar uma casa mais cara para potenciar retornos maiores ou mesmo comprar mais do que uma casa. Sim, teria que fazer um crédito habitação mas conseguia assim alavancar os seus retornos com um risco e um custo muito diminutos.

O Que Acontece Se O Preço Das Casas Baixar?

A redução do valor das casas é uma possibilidade sempre presente. Diz-nos a experiência que é possível que aconteça, especialmente se comprarmos as casas em zonas que estão “quentes”. No entanto, se o seu foco for o arrendamento estará a investir para o longo prazo. Nessa situação, o importante é o retorno que retira da casa com as rendas e não tanto o valor do imóvel. Um pouco como os dividendos das ações. Em última análise, sugerimos que procure com cautela e que tente comprar barato. Não tem pressa. Pode escolher.

Um Ótimo Investimento Para A Reforma

Ao invés de fazer um PPR para investir em produtos de capital garantido ou para pagar comissões ao gestor do produto, por que não pensar seriamente neste investimento? Se reparar, estará a acumular património, a obter um rendimento (que poderá reinvestir) e terá uma garantia de segurança do seu capital (a casa terá sempre algum valor).

Faça As Suas Análises

Para tomar uma decisão informada deverá fazer muita pesquisa. Poderá sempre simular qual seria a sua prestação e pesquisar na internet por casas enquadradas na sua prestação e estratégia de arrendamento. Depois é arriscar, nunca esquecendo que quem não arrisca… não petisca!

Avalie este artigo
COMPARTILHAR
Artigo anteriorComo Reduzir o Endividamento
Próximo artigoReorganiza associa-se à Associação Salvador – Veja como ajudar!
Iniciou a sua carreira no setor financeiro onde desempenhou funções de analista de ações e gestor de fundos de investimento. Especialização em mercados e ativos financeiros no ISCTE e uma pós-graduação em Análise Financeira no ISEG, curso que lhe conferiu o Certificado Europeu de Analista Financeiro. Fundou a Escola de Finanças Pessoais – sendo co-autor de seis livros nesta temática (Manual das Finanças Pessoais, Manual da Poupança, Como Acabar com as Dívidas Pessoais e Familiares, O meu primeiro livro de Finanças Pessoais e Como ensinar o meu filho a poupar, Viva uma Reforma Feliz). Através da Escola de Finanças Pessoais já formou mais de 5.000 colaboradores de empresas nacionais e internacionais. Tendo sido Diretor-Comercial na DignusCapital, decide criar o seu projeto próprio na área da renegociação e intermediação de crédito, fundando a Reorganiza, empresa onde trabalha atualmente.

DEIXE UMA RESPOSTA

*

code