Empréstimos P2P valem a pena?

0
280

Quem nos acompanha sabe que somos adeptos de plataformas de investimento que possam representar uma inovação face às instituições financeiras. Temos mostrado a evolução do nosso investimento em diversas plataformas, como a Mintos, a ViaInvest ou a Gruppeer. No entanto, neste artigo vamos falar-lhe da experiência do Renato do site Mais-valias.

Mintos

O desempenho do Renato na Mintos foi de 10.75% em 2018, numa carteira que se caracteriza por ter empréstimos de prazos curtos (menos de 12 meses) e fundamentalmente em empréstimos pessoais e de curto prazo. Pelo que acompanhamos deste site cuja leitura recomendamos a experiência na Mintos tem sido equivalente à nossa, talvez um pouco mais cautelosa (por exemplo, não temos colocado ainda restrições no prazo, tendo prazos médios mais alargados).

Raize

A experiência do Renato na Raize deve ser mais antiga do que a nossa mas as conclusões são semelhante. Se nós estamos a cortar os nossos investimentos nesta plataforma de P2P (inclusivamente vendendo créditos com taxas mais baixas ou pesos mais elevados) o Renato depois de algum tempo a desinvestir voltou a ligar o seu tracker. Felizmente está com uma taxa de retorno mais elevada do que nós. O que temos visto é que as taxas de juro dos novos créditos têm caído bastante, pelo que vamos fechar em breve a nossa conta nesta plataforma e desviar o investimento para outras plataformas.

ViaInvest

A ViaInvest é outra plataforma onde temos uma conta aberta e onde estamos a investir, com taxas de juro interessantes. O Mais-valias começou a seguir esta plataforma em Março e está com uma taxa atual de 11%. Como referimos aqui, sugerimos que se desejar seguir este caminho que invista um valor baixo até que ganhe confiança. O Renato investiu €150 e está a experimentar.

Como pode constatar, existem algumas boas experiências com as plataformas de empréstimos P2P mas é importante que tenha sempre em mente que nenhum de nós faz uma recomendação de investimento. Assim, deverá estar consciente dos riscos de capital e ler as condições de cada plataforma e só investir se conhecer bem o que está a fazer. Caso contrário não invista…

Avalie este artigo
COMPARTILHAR
Artigo anteriorIRS – Como é calculado o imposto a pagar / receber
Próximo artigoSeguro auto – Como escolher o seu Seguro
João Morais Barbosa
Iniciou a sua carreira no setor financeiro onde desempenhou funções de analista de ações e gestor de fundos de investimento. Especialização em mercados e ativos financeiros no ISCTE e uma pós-graduação em Análise Financeira no ISEG, curso que lhe conferiu o Certificado Europeu de Analista Financeiro. Fundou a Escola de Finanças Pessoais – sendo co-autor de seis livros nesta temática (Manual das Finanças Pessoais, Manual da Poupança, Como Acabar com as Dívidas Pessoais e Familiares, O meu primeiro livro de Finanças Pessoais e Como ensinar o meu filho a poupar, Viva uma Reforma Feliz). Através da Escola de Finanças Pessoais já formou mais de 5.000 colaboradores de empresas nacionais e internacionais. Tendo sido Diretor-Comercial na DignusCapital, decide criar o seu projeto próprio na área da renegociação e intermediação de crédito, fundando a Reorganiza, empresa onde trabalha atualmente.

DEIXE UMA RESPOSTA