IRS – Como é calculado o imposto a pagar / receber

0
3475
Dinheiro

Fazer contas é uma chatice e muito menos prestar contas ao Estado. Como as contas são muitas, facilitamos o processo e mostramos como é calculado o imposto a pagar ou a receber. Verá que é simples e poderá também começar a preparar o seu IRS do próximo ano.

Rendimento Bruto

O rendimento bruto é o valor do seu salário e de todos os rendimentos de trabalho, rendimentos prediais, pensões e outros que não tenham uma tributação autónoma, antes de pagar os impostos respetivos.

Deduções Específicas:

Não faz sentido pagar imposto sobre os impostos que já pagou (sobre a retenção de IRS e Segurança Social), se bem que o Estado gosta de o fazer noutros impostos. Assim, ao valor do rendimento bruto são retiradas as contribuições sociais e outros impostos específicos.

Rendimento Coletável

A diferença entre o rendimento bruto e as deduções específicas é o rendimento coletável e é sobre ele que irá incidir a taxa de imposto respetiva, cujos escalões coincidem com as tabelas de IRS. Como terá certamente acompanhado, apesar de termos tido uma redução dos impostos não tivemos uma redução da tabela de retenções, o que implica que deveremos ter retido um imposto maior (o que trata uma boa notícia).

Coleta

A coleta resulta da multiplicação do rendimento coletável com a taxa de imposto do seu escalão.

Deduções à coleta

É nas deduções à coleta que entram todos os benefícios fiscais e demais deduções ao imposto a pagar. Para as obter era necessário ter validado todas as faturas bem como ter pedido muitas faturas com o seu número fiscal de contribuinte.

Resultado final

A diferença entre a coleta e as deduções à coleta representa o resultado final. É aqui que terá a informação do que irá pagar ou receber. Se tiver a pagar o prazo final é o dia 31 de Agosto, se bem que se o valor do imposto a pagar for muito elevado poderá sempre pedir para pagar a prestações.

É fundamental que respeite os prazos para entrega da declaração. Para 2019, deverá fazer a entrega da declaração entre os dias 1 de Abril e 30 de Junho, não existindo uma diferença entre contribuintes como em anos anteriores.

Se precisa de ajuda a entregar a sua declaração de IRS no Portal das Finanças leia este artigo.

Avalie este artigo
COMPARTILHAR
Artigo anteriorIRS 2019 – Como Preencher o seu IRS
Próximo artigoEmpréstimos P2P valem a pena?
João Morais Barbosa
Iniciou a sua carreira no setor financeiro onde desempenhou funções de analista de ações e gestor de fundos de investimento. Especialização em mercados e ativos financeiros no ISCTE e uma pós-graduação em Análise Financeira no ISEG, curso que lhe conferiu o Certificado Europeu de Analista Financeiro. Fundou a Escola de Finanças Pessoais – sendo co-autor de seis livros nesta temática (Manual das Finanças Pessoais, Manual da Poupança, Como Acabar com as Dívidas Pessoais e Familiares, O meu primeiro livro de Finanças Pessoais e Como ensinar o meu filho a poupar, Viva uma Reforma Feliz). Através da Escola de Finanças Pessoais já formou mais de 5.000 colaboradores de empresas nacionais e internacionais. Tendo sido Diretor-Comercial na DignusCapital, decide criar o seu projeto próprio na área da renegociação e intermediação de crédito, fundando a Reorganiza, empresa onde trabalha atualmente.

Deixe um comentário

avatar
  subscrever  
Notificação de