Como pagar as suas dívidas – Debt Snowball

Crédito

Como pagar as suas dívidas – Debt Snowball

3 min Partilhar 17 de Fevereiro, 2021

Search
Generic filters
Exact matches only

A dívida é uma grande prisão que nos deixa escravos dos nossos credores. Pode acontecer que não seja o caso, porque há boas utilizações que fazemos ao crédito. No entanto, os créditos de curto prazo são verdadeiros quebra cabeças para muitas famílias. Neste artigo vamos mostra-lhe como poderá acabar com os seus créditos e melhorar a sua vida financeira.

Um alerta inicial

Começamos deixando um alerta. Neste artigo não existem fórmulas milagrosas. Não acreditamos em facilidades irreais mas antes em esforço e dedicação para atingimento de objetivos. Assim, a estratégia que verá de seguida e que tem sido aplicada por milhões de pessoas em todo o mundo é assente em esforço e dedicação. Os frutos aparecem e serão visíveis desde cedo, mas exigem esforço.

Comece por conhecer todas as suas dívidas

O primeiro passo para acabar com as suas dívidas e melhorar a sua vida consiste em conhecer todas as suas dívidas e respetivas características. Para sabermos para onde vamos temos de saber o ponto de partido, de modo a definir estratégias coerentes com os objetivos. No caso do endividamento, isso passa por:

  1. Montante em dívida;
  2. Prazo de pagamento;
  3. Prestação mensal;
  4. Taxa de Juro.

Organize os seus créditos

Depois de saber as características dos vários créditos, diz-nos a estratégia Debt Snowball que deveremos orientar os créditos começando por aquele que tem o montante em dívida mais baixo. De notar que esta não é a opção financeiramente mais interessante, na medida em que deveremos liquidar primeiro os créditos mais caros (ou seja, aqueles com a taxa de juro mais elevada). No entanto, por uma questão psicológica, ao começarmos naqueles créditos com o montante mais baixo, iremos ganhar uma motivação extra ao vermos que os nossos esforços resultam na eliminação de linhas de crédito.

Comece a liquidar créditos

Se identificar créditos é algo simples, é na liquidação de créditos que começam as dificuldades. E aqui precisamos de nos esforçar bastante. Vamos precisar de encontrar todo o rendimento disponível que tivermos para fazer amortizações antecipadas. Podemos usar parte das poupanças que temos (sem comprometer o fundo de emergências) mas teremos certamente de cortar muitos custos. Negociar contratos, como sendo o contrato da eletricidade e do gás. Negociar os contratos de seguros e talvez transferir o crédito habitação para outro banco. Mas toda a liquidez gerada deve ser destinada a liquidar o crédito com o montante mais baixo.

Festeje

Quando liquidar o primeiro crédito é altura de festejar. Acabou com uma prestação mensal que certamente seria incómoda. Acabou com um grilhão que o unia a um banco que estava a retirar-lhe muito dinheiro em juros todos os meses. Assim, tem de festejar e ganhar força para a etapa seguinte, porque vai precisar de força para resistir à tentação de aumentar as suas despesas.

Repita o processo

Tendo mais dinheiro disponível, deve manter o esforço e a contenção de custos e juntar o equivalente a essa prestação que eliminou para liquidar o crédito que está em segundo lugar na lista. Aí, não pagará apenas o valor da prestação desse crédito mas também o equivalente ao que deixou de pagar no segundo e todo o dinheiro que conseguir juntar. Não é altura de facilitar pois aí estaremos a voltar atrás no nosso caminho.

E depois?

Depois de pagar o segundo crédito, pode pagar o terceiro. E depois pagar o quarto e assim sucessivamente até liquidar todos os créditos menos o seu crédito habitação. Vai ver que poupará muito dinheiro todos os meses… e já se imaginou sem ter essas prestações todas, todos os meses, durante anos? Já pensou na qualidade de vida que poderá vir a ter? Já pensou o que seria se não tivesse de se preocupar com mais bancos, prestações, comissões e afins?

O que fazer agora ao seu crédito habitação?

Como referimos, depois de pagar os vários créditos que tem ao seu dispor, vai ter bastante mais rendimento disponível. Nesta fase, poderá perguntar-se se valerá a pena liquidar o crédito habitação e para lhe responder a esta questão deveremos considerar se tem ou não a capacidade de poupar e investir o seu dinheiro. Se tiver essa capacidade, sugerimos que não liquide o seu crédito habitação pois com o atual nível de taxas de juro, certamente que consegue uma maior rentabilidade nos investimentos. Se considera que não terá capacidade de poupança, então foque-se em acabar com mais este crédito.

Já agora…

No ponto anterior assumimos que o seu crédito habitação tem uma taxa de juro perto de 1%. Se não tiver essa taxa de juro saiba que pode transferir o seu crédito habitação e baixar o seu spread e os demais custos associados. Se quiser analisar a poupança que teria com a renegociação do seu crédito não deixe de visitar a página do melhor banco para crédito habitação.



Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Em que podemos ajudar?

Outro