Depósitos a Prazo na Raize – Valem a Pena?

Investir

Depósitos a Prazo na Raize – Valem a Pena?

2 min Partilhar 24 de Junho, 2019

Search
Generic filters
Exact matches only
Filter by Custom Post Type
Rendimentos passivos

Quer ganhar dinheiro sem risco e com taxas de juro elevadas? Sabe que os depósitos a prazo têm uma taxa de juro cada vez mais baixa e tem dúvidas se deve aplicar o seu dinheiro no mercado de depósitos a prazo da Raize? Neste artigo damos-lhe algumas ideias para ajudar à sua decisão.

Em que consiste o mercado de depósitos a prazo da Raize?

Temos escrito com alguma recorrência sobre a Raize, tendo inclusivamente mostrado a evolução dos nossos investimentos nesta plataforma e também a redução da carteira. De notar que esta evolução é apenas a nossa opinião e em nada coloca em causa a idoneidade desta ferramenta. Aliás, acreditamos que a Raize é uma plataforma interessante para a diversificação dos investimentos de alguns investidores.

Uma das características da Raize que nos levou a cortar com os nossos investimentos prende-se com a reduzida oferta de empréstimos para o número de investidores, facto que faz com que ficássemos muito tempo sem investir o nosso capital, afetando a nossa taxa de retorno. Este facto é notório e não nos parece que venha a ser resolvido em breve. No entanto, o mercado de depósitos a prazo poderá ajudar a contornar em parte este problema.

Nos dias que correm, o mercado de depósitos a prazo não é bem um mercado. Na prática, só tem um banco e quatro depósitos, sendo que o montante mínimo de depósitos é bastante elevado para a maioria dos aforradores portugueses (€5.000). Acreditamos que a Raize estará a negociar com outros bancos…

Vale a pena aplicar dinheiro nestes depósitos?

Se é investidor nesta plataforma é melhor ter o dinheiro ali investido do que estar parado, sendo, no entanto, verdade que consegue taxas melhores noutros bancos. Caso tenha dinheiro para investir e caso valorize o investimento nestas plataformas, poderá sempre encontrar outras alternativas no artigo que escrevemos sobre Investimento em Fintechs. Sendo cliente da Raize, tem a vantagem de que não tem de abrir conta neste banco, evitando também o pagamento de eventuais comissões bancárias que existam (o que é bastante positivo). Se não é investidor na Raize, talvez faça sentido procurar outras alternativas e não fará grande sentido abrir conta só por esse motivo.



Comments (3)
  1. Mónica Baptista Reply

    Boa tarde,

    Antes de mais, parabéns pela iniciativa e em terem um repositório de informação, opinião e conselhos financeiros. Parece-me essencial para os dias que correm aonde as entidades bancárias têm cada vez mais dificuldade em conseguir motivar os clientes a terem dinheiro investido junto das mesmas, sendo a procura de soluções alternativas necessárias.

    A 26 de Novembro de 2018 indicavam que iam vender a vossa posição na Raize devido às situações de incumprimento com que se depararam. Este artigo de Junho deste ano (2019) volta a referir a plataforma como uma boa forma de investimento (Não sendo a melhor, também possuo conta no Mintos e sinceramente o investimento na Raize prendeu-se um pouco com orgulho nacional e visto que tinha iniciado investimentos em plataformas de Peer-To-Peer Lending, fez-me, não num sentido estritamente financeiro mas também patriótico – se assim o quiserem denominar – para ajudar também as empresas e a economia nacional, investir na Raize).

    De facto a taxa de juro da Raize fica aquém da prestada pelo Mintos, já sem falar da garantia de Buyback (Que não passa disso … uma garantia … poderá ou n ser exequível em caso de falência de uma das empresas de crédito aonde o valor foi investido, mas é um caso extremo, caso contrário será readquirido pelas mesmas que o contraíram na plataforma), mas não deixa de ser mais seguro.

    A minha questão prende-se com o seguinte:

    Já que voltam a referir a plataforma como um bom investimento (Ainda bem! Que o que seja nacional seja também ele bom!), como foram solucionadas então as situações de incumprimento, visto que o que é dito na Raize é, passo a citar:

    “Caso haja possibilidade de recuperar parte ou a totalidade do montante em dívida e caso o mesmo seja suficiente para cobrir todos os custos de recuperação associados (recursos internos, advogados, agentes de execução, custas e impostos) e ressarcir os investidores, a Raize promoverá uma única ação conjunta entre todos os Investidores.”

    A única defesa do investidor na Raize passa pela correcta avaliação da situação financeira das empresas e entidades que propuseram adquirir um empréstimo na mesma e não, por exemplo, que aceitem novos empréstimos só para satisfazer um aumento de clientes da plataforma. Ou seja, que sejam bastante criteriosos.

    Gostaria de saber se possível, o resultado da vossa experiência e de como a situação foi levada a cabo.

    Obrigado desde já pelo tempo e resposta.

    1. João Barbosa Reply

      Olá Mónica

      De facto, tivemos vários créditos que entraram em recuperação e que nunca mais soubemos deles. Ou seja, parece-me que deveria existir uma maior cautela quando se concede o crédito, nomeadamente no que toca à exigência de garantias pessoais aos sócios da empresa (isto porque falamos de empréstimos a PME).

      No nosso artigo, falamos de que pode ser uma ferramenta para diversificar riscos e que a plataforma de depósitos pode ser interessante para quem já tem o dinheiro na Raize, mas que o tem parado. Daí estarmos também a reduzir o investimento de forma progressiva. Em qualquer dos casos, se investirmos com a expetativa de ter 2%-3% de taxa de retorno, poderemos ficar satisfeitos. Mas como refere… a Mintos dá bastante mais

      Acredito que existem dois fatores a considerar nesta plataforma, nomeadamente a impossibilidade de investir maiores quantidades de dinheiro e de alguma seleção natural adversa (quem pede crédito as tantas só vem a Raize se não conseguir aprovação noutros lados). Parece-me que em breve a pressão para conceder crédito e a necessidade de apresentarem resultados aos acionistas pode trazer também alguns desafios.

  2. Mónica Baptista Reply

    Olá João, como está?

    Obrigado pela vossa resposta.

    De facto, sem uma boa avaliação das empresas e acompanhamento das mesmas para cessar os empréstimos em caso de incumprimento e proceder ao que se comprometem e sem factos concretos sobre a realização de acções para que os utilizadores sejam ressarcidos, fica um pouco difícil de acreditar nas acções a serem realizadas no caso dos empréstimos em incumprimento.

    Eu compreendi o objectivo do artigo, foi mesmo a curiosidade sobre os incumprimentos que me fez questionar sobre a utilização ou não da plataforma em si, visto voltar a ser aconselhada, embora em aplicações distintas.

    Irei continuar a avaliar a Raize mas também com tendência a diminuir a minha carteira infelizmente.

    Sem essa garantia, farei para não possuir uma carteira de risco com juros intermédios e não altos na Raize devido aos incumprimentos, embora não possamos escolher o que o tracker adquire e que nível de risco possui, podemos fazê-lo manualmente, o que implica um grande dispêndio de tempo.

    Obrigado pela vossa atenção mais uma vez e desejo-vos a todo um bom fim-de-semana!


Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Olá, sou o João, em que posso ajudar?

Outros